sexta-feira, 7 de março de 2014

Gelatinas Caseiras

Da série: um paradoxo que dá certo, o industrializado agora é caseiro. Hoje: gelatina

Alimento infantil!


Interessante isso. Para mim alimento infantil de verdade é leite materno. Quando a criança começa a se alimentar, é a mesma comida dos adultos com um pouco mais de cuidado nos temperos, ou pelo menos devia ser. Verduras, frutas, legumes, cereais de preferência orgânicos e o mais in natura possível.

Mas a realidade é bem outra, comida de criança é cheia de açúcar, corantes e muitos aditivos químicos. Paradoxo não?

Gelatina por exemplo, faz bem à saúde... É o que aprendemos com nossas avós. Elas são divertidas, coloridas, dançam, tem brilho e são deliciosas, não é?

Mas certamente as queridas vovós não se referiam às gelatinas industrializadas que temos hoje em dia. Alguns dos corantes liberados no Brasil são proibidos em outros lugares por serem relacionados a distúrbios de comportamento e hiperatividade, outros oferecem riscos de câncer. A melhor solução como sempre, é fazer em casa.

As gelatinas caseiras são muito mais gostosas e podemos escolher os ingredientes que queremos na nossa mesa. São ótimas para lanches e merendas escolares e podemos variar as frutas e até legumes.

Quem quiser pode acompanhar o resultado do teste que foi feito com 11 pós para preparo do produto sabor morango: quatro na versão tradicional, quatro na versão diet e três na versão zero.

Receitas:

No Blog Bicho Papinha da querida Suzy tem receitas primorosas que derrubam aquele velho hábito criado pelas indústrias alimentícias de que gelatina é de morango, framboesa, abacaxi, limão e outras poucas opções. Vamos lá conhecer seus ensinamentos:

Que tal uma gelatina de limão cravo, capim santo e mel?

Essa gelatina é quase um chazinho antigripal sólido. 



Aproveito a época do limão cravo, abundante e baratinho pra fazer de tudo com ele. Pra mim, é a melhor limonada de todas a feita com esse limãozinho feioso mas super aromático e saboroso.

Esta ideia de gelatina me veio num dia meio de desespero, quase nada na geladeira, um resfriado chato e a escola mandou o cardápio em cima da hora, sem tempo pra planejar a gelatina que iria substituir a gelatina industrializada oferecida como sobremesa no dia seguinte.

Usei o chazinho clássico de capim limão, gengibre, mel e limão para a gelatina e ficou muito gostosa.

É importante lembrar que antes dos 2 anos não se deve oferecer mel aos bebês. Em 2008, a Anvisa alertou para o risco de bebês desenvolvem botulismo intestinal após o consumo de mel. Segundo alguns estudos, é relativamente comum a presença no mel da bactéria Clostridium Botulinium. Essa bactéria não causa nenhum dano aos adultos, mas os bebês menores de 2 anos são mais vulneráveis porque ainda não têm a flora intestinal completamente formada. Você pode ter um pouco mais de informação a esse respeito aqui.

Se o seu bebê for habituado à limonada sem nenhuma espécie de adoçante, e é muito saudável que ele seja, você pode simplesmente omitir o mel.

Ingredientes
1 pacote de gelatina em pó sem sabor
1/2 litro de chá de capim limão com gengibre
1 e 1/2 limão cravo
mel a gosto
água de flor de laranjeira (opcional).
Basta hidratar a gelatina em um pouquinho de água fria e depois dissolvê-la no chá fervendo, acrescentar o suco do limão cravo, o mel (uso 2 colheres de sopa, mas vai do seu gosto) e, se você gostar, umas gotinhas de água de flor de laranjeira. Depois é só colocar nos potinhos e levar à geladeira.

Gelatina de chá de camomila e suco de maracujá

Polpa peneirada de um maracujá
Mel a gosto
1 xícara de chá bem forte de camomila
1 pacotinho de gelatina em pó, sem cor nem sabor , incolor
Coloquei a polpa do maracujá numa xícara e completei com água até encher. Usei umas colheres do suco para misturar na gelatina em pó e deixar hidratando por uns minutinhos. Dissolvi no chá fervente e juntei o restante do suco de maracujá. Adocei com mel e preenchi as cavidades de 6 casquinhas de ovos que estavam apoiadas na caixinha em que vieram. Se não fosse servir ao meu filho, que implica com sementes, teria colocado as sementinhas e ficariam lindas.



Gelatina de caqui com canela 
Esta é uma gelatina super simples e deliciosa. Perfeita para aproveitar os lindos caquis que ainda vemos nas feiras-livres.

5 caquis bem maduros
2 xícaras de água
2 pacotes de gelatina em pó, sem sabor, incolor
Canela em bastões e em pó a gosto
Coloquei a gelatina para hidratar em poucas colheres de água fria e fiz um chá bem forte fervendo a água com alguns bastões de canela. Os caquis estavam tão suculentos que nem passei por peneira, separei a polpa das cascas com ajuda de uma colher, dei só uma pulsada com o mixer para ficar mais homogêneo, mas deixando uns pedacinhos, sem destruir as fibras todas. Dissolvi a gelatina no chá quente de canela e misturei ao caqui. Acertei o sabor com um pouquinho mais de canela e coloquei em potinhos que foram para a geladeira por umas 4 horas até endurecer.



Gelatina de pinha, atemóia, graviola, água de coco

Sempre impliquei com frutinhas brancas grudentas com sementinhas pretas difíceis de tirar e grandes demais pra engolir. Achava que o sabor não valia o esforço de ficar toda melada. Até que tive filho e me dei conta que era frutinha boa para bebê, docinha, basiquinha, sem conflito, cremosinha.

Então voltei-me às pinhas, que também são boa fonte de cálcio, ferro e fósforo. Já tinha feito duas versões de gelatinas com pinha antes. Uma apenas com pinha e leite de coco caseiro, que é um sucesso também com adultos. E outra, de pinha com chá de jasmim, mais suave.

Por causa da minha antipatia com essas frutinhas branquinhas, nunca soube direito a diferença entre pinha, atemóia e graviola. Aí eis que resolvi testar as 3 juntas.

A pinha é mais doce e tem a polpa mais macia. Fiquei com a sensação que a única vantagem da atemóia em relação à pinha é ter menos daquela “areiazinha” junto da casca, de resto é uma pinha mais xinfrim, menos doce, mais fibrosa. Já a graviola tem aquela acidez típica das frutas com bastante vitamina C. Nada que sobressaia quando combinada com suas priminhas menores. Mas não sei se sozinha seria facilmente aceita por bebês menos acostumados com frutas ácidas.

2 pinhas bem maduras
1 atemóia
½ graviola
1 xíc de água de coco
2 pacotes de gelatina sem sabor, incolor
Enquanto a gelatina em pó fica hidratando em umas 10 colheres de água de coco e a água de coco restante é aquecida até aparecerem bolinhas nas laterais do fervedor, solte os gomos das frutas das suas cascas. No caso da pinha e da atemóia, basta correr os dedos entre os gomos. A polpa da graviola sai mais facilmente com a ajuda de uma colher de sopa.

Para se livrar das sementinhas dessas bichinhas, basta pulsar no liquidificador ou com um mixer, como lindamente explica a Katita, nesse post. Se você passar a polpa numa peneira, terá um resultado mais homogêneo. Daí é tudo muito simples: dissolve a gelatina hidratada na água de coco quente, mistura na polpa peneirada das frutas e distribui em potinhos individuais ou em uma forma grande.

Gelatina de tangerina
1 pacotinho de gelatina em pó, sem sabor , incolor
1 e 1/2 xícara de chá de casca de tangerina e laranjas
1/2 xícara de suco de tangerina
2 colheres de água de flor de laranjeira
Mesma coisa: hidratar num pouquinho de suco, dissolver no chá fervente, juntar os outros ingredientes. A água de flor de laranjeira dá um cheiro e um gostinho genial. Não adocei porque gostamos dessa gelatina suave, só com o docinho sutil da tangerina, mas se você sentir necessidade, vá do paladar da sua criança e adicione mais suco de tangerina e menos chá.

Você também pode fazer gelatina com sucos de frutas como limão, maracujá,abacaxi com hortelã, laranja. Aí vou colocar a receita do Blog Diário sem lactose escrito por Monalisa Cavallaro

Gelatina Caseira com Suco de Fruta Natural (Limão) - Sem Lactose, Sem Glúten, Sem Ovos
750 ml de suco de limão (misturei o suco de 3 limões grandes em água até completar os 750 ml)
Açúcar a gosto (usei açúcar demerara)
2 sachês de gelatina incolor , sem sabor, incolor
1. Em um potinho, coloque a gelatina incolor com 100 ml de água fria.
2. Em uma panela, coloque o suco de limão e o açúcar a gosto. Leve ao fogo médio e deixe ferver por 1 minuto (cuidado porque o suco vai ferver igual ao leite, se descuidar cai tudo no fogão).
3. Remova do fogo, espere uns 3 minutinhos para esfriar um pouco e misture a gelatina. Mexa bem até dissolver tudo.
4. Coloque em potes individuais ou em apenas 1 refratário. Deixe esfriar e depois leve a geladeira até adquirir consistência.

Se quiser, pode acrescentar pedaços de frutas de sua preferência.
Nota: Frutas como mamão, kiwi, figo e abacaxi têm umas enzimas que não deixam a gelatina se formar, por isso devem ser cozidos antes de utilizar para gelatinas.

Para quem ainda tem dúvidas quanto à qualidade das gelatinas industrializadas recomendo a leitura dos ingredientes presentes nos rótulos, aliás, recomendo para todos os alimentos industrializados.


Para quem não conhece a gelatina sem sabor, incolor tem à venda nos supermercados. Existem várias marcas e existe também a gelatina em folhas sem sabor e incolor.

4 comentários:

  1. Mas é honra demais pra uma mortalzinha xinfrim estar num dos meus blogs favoritos assim com tanto carinho!
    Obrigadão pelo carinho, Nadia, querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc merece Suzy, admito muito seu trabalho que conheci através da Thais Ventura no FRD do ano passado. Bjo

      Excluir
    2. Opssss admiro, rs e tb admito, rsss

      Excluir
  2. Uhhhh que delicia morango e framboesa sao minhas gelatinas preferidas !
    Parabéns Nadia.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...