Amor a cada mordida!

Por Nadia Cozzi
Da manga rosa quero o gosto e o sumo.
Melão maduro, sapoti, juá.
Jabuticaba, teu olhar noturno.
Beijo travoso de umbu cajá.
Pele macia é carne de caju, saliva doce, doce mel, mel de uruçu. (Alceu Valença)


Frutas são ricas em nutrientes e fibras, essenciais ao bom crescimento das crianças e adolescentes. Lindas, coloridas, saborosas, refrescantes, energéticas.

Toda essa gama de qualidades deveria ser aproveitada inclusive de forma lúdica nas refeições, afinal alimentação e emoção andam de mãos dadas, carregam simbolismos e influências sociais, culturais e até mesmo econômicas. Ao crescermos estabelecemos relações, padrões, fazemos escolhas, identificamos sabores. Na infância formamos o paladar e os hábitos de uma vida toda.

Claro que isso não passou despercebido pelas “fábricas de produtos alimentícios” que mais espertinhos que nós, usaram e abusaram do lúdico, da fantasia e passaram a estampar frutinhas apetitosas, coloridas e animadas nos rótulos de seus sucos, gelatinas, iogurtes chamando atenção dos pequenos, e o que era saudável por si só passou a fazer parte de um aglomerado de aditivos químicos.

Comer bem é cuidar do corpo que cresce e precisa dos nutrientes essenciais para seu desenvolvimento físico e mental, e isso mamães começa na gravidez. Alimentação inadequada acarreta problemas como anemia, baixo rendimento escolar, câncer, doenças do coração, obesidade, hipertensão, diabetes, entre outras.

“O baixo consumo de frutas, legumes e verduras está entre os dez principais fatores de risco para a carga total global de doença em todo o mundo (OMS, 2002)”.

Em contrapartida é ampla a disponibilidade dos açúcares, gorduras e sódio, presentes inclusive em alimentos vendidos como “saudáveis”: sucos de caixinha e em pó, que na verdade apresentam quase nada de frutas e muito de água e açúcar.

Incentivar o consumo variado de frutas, verduras e legumes é essencial para uma vida futura mais saudável, e mais do que isso, é capacitar aquele pequeno Ser Humano para fazer melhores escolhas em sua vida diária.

O primeiro passo é ter a consciência do que se está comendo, depois envolver todos nesse processo, família, escola, sempre lembrando que os pais são espelhos e devem sim dar o exemplo. O mesmo se aplica aos professores. E não tenha medo, o que foi bem aprendido será aproveitado em algum momento da vida.

Educar sobre nutrição não pode ser teórico, envolva a criança nesse processo


O preparo das refeições deve ter a ajuda dela. Aproveite nutrientes, formas e cores. Frutas, verduras e legumes são generosos quanto a isso. Prefira a fruta ao suco, aproveite suas fibras.

Corte a melancia em formato de coração, experimente a carambola travestida de estrelinha, enfeite saladas, faça lanches coloridos com cenoura e beterraba raladinhas, que tal espetinhos de tomate e queijo?

Brinque com o alimento! Brinque de alimento com as crianças e você estará despertando sua curiosidade e formando seus hábitos alimentares e mais que isso cultivando o amor. O amor a cada mordida! Experimente.



Imagens: Google

Comentários

Postagens mais visitadas